El Cebreiro – Triacastela (21 km)

Hoje foi um dia com dificuldade média. Fiz quase todo o caminho empurrando a bike, pois preferi conversar com as pessoas. Vim um bom tempo conversando com o Pepe, um espanhol de Palma de Mallorca que me deu 25 anos. Bombando pelo Caminho.

Santiago de Compostela 2007 1107.jpg

Santiago de Compostela 2007 1155.jpg

Santiago de Compostela 2007 1140.jpg

Depois vim conversando um pouco com o Zé e por fim resolvi andar um pouco de bike, sozinha.

Quando estava passando por um pueblo chamado Ramil, um senhor me chamou e eu resolvi parar. Me mostrou um castanheiro, que segundo ele, tem 1.300 anos e 11 metros de diâmetro.

HPIM0315 - a caminho de Triacastela.JPG

HPIM0316 - Ramil.JPG

Tirei algumas fotos e ele me contou um pouco da sua vida, me mostrou os cajados que ele faz e nisso chegaram o Zé e o Paulo.

O Zé resolveu comprar um dos cajados e o senhor Anselmo nos ofereceu um vinho que ele produz. Aceitamos e ele nos levou a uma casa de pedra cheia de pequenos tonéis de vinho, teias de aranha e empoeiradíssima e encheu uma garrafa com um vinho de um pequeno barril.

HPIM0321 - Ramil.JPG

Ele nos fez beber a garrafa toda, em pé na frente da casa, conversou para caramba, disse que se tivesse uns 25 anos a menos (ele tem 80), me roubaria. Não nos deixou ir embora antes de tomarmos toda a garrafa.

HPIM0322 - Ramil.JPG

Na hora de irmos, ele me deu a mão e eu o abracei ao invés de dar a mão. Ele me abraçou, me beijou e os olhos dele se encheram de lágrimas. Eu também comecei a chorar e o abracei novamente. Disse para os meninos cuidarem de mim. Fomos todos embora comovidos.

Sei que já falei isso mais de uma vez, mas é que sempre me emociono com a simplicidade das pessoas, dos acontecimentos e dos sentimentos do Caminho. Um senhor que nunca nos viu, abre a casa, nos oferece uma garrafa de vinho, conta a sua vida e se despede de uma maneira tão carinhosa, que não tem como não nos emocionarmos com isso.

Chegamos ao albergue, que tinha máquina de lavar roupa e aproveitamos para dar um trato nas roupas que só tinham sido lavadas até então, na mão, muitas vezes sem escova.

Conhecemos a Carol, uma pernambucana super gente boa, que se juntou ao grupo, rodou a pequena cidade e almoçou um bocadillo conosco.

HPIM0328 - Triacastela.JPG

HPIM0329 - Triacastela.JPG

Postagens em Destaque
Postagens Recentes
Siga-me
  • Wix Facebook page
  • LinkedIn Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Faça parte da nossa lista de emails

Nunca perca uma atualização