As lutas diárias

Acho que todo mundo já ouviu que a dificuldade e os revezes são melhores professores e que nós só crescemos nas adversidades. E sempre pensei: Por quê? Por que tem que ser sempre pelo caminho mais difícil? Por que não podemos aprender com mansidão, com leveza, com carinho?

Não sou nenhuma anciã, mas também não posso ser classificada como mocinha, o que me dá a vivência necessária para saber, que sim, aprendemos muito nas dificuldades, simplesmente porque elas nos fazem olhar para todos os lados das questões, procurar outras formas de agir e entender que outro caminho temos que tomar. Elas nos obrigam a nos mexer, a levantar e deixar a postura derrotista para trás.

Mais uma vez, fácil dizer, mas complicado em muitos momentos de assimilar isso. E é assim no dia a dia, na montanha, nos relacionamentos, no trabalho e em todos os aspectos da vida.

Não vou dizer que não choro, que não me lamento, não me faço de vítima. Faço e juro que às vezes me dou até ao direito de um pouco de autocomiseração, choro de me descabelar, afinal sou determinada e forte, mas sou gente que sofre, que cansa, que pensa em desistir.

Mas sabe aquela mola que existe no fundo do poço? Então, algo dentro de mim sempre tenta encontrar uma saída, sempre tenta entender o que eu tenho que aprender e me faz lembrar de toda a longa trajetória que já trilhei e que me trouxe até aqui.

Isso me dá forças para continuar, respirar fundo, esticar a coluna, levantar a autoestima e lutar para mudar esse quadro.

Situações limites nos testam até o âmago do nosso ser e é como dizem: o que não te mata, te fortalece.

Mas apesar de toda essa ode aos revezes, continuo acreditando que o amor, o carinho e a leveza também podem e devem ensinar e que enquanto estivermos sorvendo o lado bom de tudo isso, não há mal nenhum em ter uma vida plena e feliz, sem tantos atropelos e provações.

Talvez a questão seja quando toda essa tranquilidade se transforma em comodismo, mas nem sei dizer o que é esse sentimento, portanto, por uma vida mais leve, plena de significado, de amor, de boas risadas, de boas companhias, de boas lembranças, de saudades gostosas, de amigos por perto, de família unida e propósito, eu digo sim, sim à felicidade a que todos temos direito e o dever de não desistir nunca.

Levanta, lava essa cara, vista um sorriso e vá à luta, afinal como diria Guimarães Rosa: “O que ela (vida) quer da gente é coragem. Ser capaz de ficar alegre e mais alegre no meio da alegria. E ainda mais alegre no meio da tristeza”...

Sábio Guimarães Rosa...

Trekking Campo Base do Everest - Nepal

Postagens em Destaque
Postagens Recentes
Siga-me
  • Wix Facebook page
  • LinkedIn Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Faça parte da nossa lista de emails

Nunca perca uma atualização